sexta-feira, 14 de outubro de 2011

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Não sou bebê, sou mocinha!

Quando fazemos qualquer tipo de comentário sobre a Pinguinho ser bebê, ela já tem uma resposta na ponta da língua.
Uma resposta séria, curta e até grossa.

"Não sou bebê, sou mocinha!"


Pois é, minha bebezinha está realmente uma mocinha.
Se enxuga do banho sozinha,
Não usa mais fraldas (nem para dormir),
Fala mais que maritaca,
Come sozinha (tá, mais enrola do que come, mas já sabe),
Brinca em brinquedos no play "perigosos" (eu acho perigoso para ela...kkk)
Dá palpite nas roupas e quer saber se o sapato ou cinto combinam
Ama maquiagem (mas não deixo usar) e pintar as unhas (este eu deixo)

Entretanto...
Ainda pede um colinho,
Toma leite na mamadeira de manhã e a noite.
Fala Amalelo e jacalé.
Dorme ouvindo música de ninar
Não sabe descer ou subir sozinha do berço.

Ah!!!
E agora a ultima: Com toda esta história de Dia das Crianças, e adesivos, bom comportamento e tal, como ja expliquei, ontem a Pinguinho, conversando com o papai, que a chama de mocinha, fala brava: Não sou mocinha, sou criança!!!


Será que é porque não tem Dia das Mocinhas?????
Espertinha, não???

sábado, 1 de outubro de 2011

Comportamento: 2 anos e 9 meses

lynnglommy.blogspot.com
Pinguinho esta em mais uma fase difícil, tenho praticado as técnicas do abraço na hora de conter seu descontrole  quando contrariada ou repreendida, mas ainda assim ela tem apresentado alguns comportamentos desagradáveis.

Antes era bem simpática com as pessoas, tudo mundo elogiava e achava uma gracinha.
De uns tempos para cá, faz cara feia quando alguém fala com ela, responde mal à pessoa e vira a cara. Isto não só com as pessoas que ela vê na rua, no clube ou em lugares que frequentamos, até na casa de amigos e parentes. Quando chega na casa do vovô, não que cumprimentar, não da beijinho em ninguém, emburra e fica assim uns 30 minutos. 
A hora de guardar os brinquedos tem sido outra guerra declarada, tanto aqui, quando na casa da Madrinha ou em qualquer lugar.
Não tem aceitado ser contrariada em nada e para tudo começa a chorar e gritar.

Cansada deste comportamento e mais cansada ainda de ficar morrendo de vergonha pelas atitudes dela, criei um quadro de incentivo.
Regras:
Se ela for boazinha, educada com as pessoas, obedecer e não fazer birra e chororô, ganha um adesivo para colar no quadro. 
Pode ganhar até 2 adesivos por dia, ou mais. Exemplo: Se cumprir as regras de manhã na casa da madrinha, ganha um adesivo. Até o final do dia, se continuar boazinha, ganha mais um. E se, se comportar quando saímos para lugares variados, ganha outro.
O condição final para o quadro é: Só ganha presente (qualquer presente de qualquer pessoa) de dia das crianças se o quadro estiver bem cheio de adesivos, caso contrário, os presentes serão doados e ela fica sem nada.
Vai doer meu coração se falhar, mas não vou voltar atrás.

Hoje, dois dias depois, tem quadro adesivos ganhos.
O engraçado é a atitude dela. 
Lá no clube, distribui sorrisos  e conversa educadamente com as pessoas dizendo que EU vou ficar feliz porque ela está boazinha e comportada.

Será que estou criando uma pequena interesseira??????

À medida que se aproxima dos 3 anos, a criança começa a perceber que às vezes as pessoas ao redor ficam felizes, às vezes tristes, às vezes bravas. Não esconda seus sentimentos e procure sempre explicar o que está acontecendo ("O dente da mamãe está doendo, por isso ela está chateada"), assim ela vai se acostumando à idéia de que existem diferentes emoções e que todas são legítimas.

As emoções do seu filho também estão mais aparentes, inclusive para ele próprio. Ao notar que há respeito pela forma como responde ao mundo, ele se sentirá aceito e amado pelos pais do jeitinho que é — por isso, não dê risada quando ele ficar bravo, mesmo que seja a coisa mais fofa do mundo.

Fonte: Babycenter.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...