segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Amigo imaginário.


Ultimamente, tenho escutado a seguinte frase;
"- Mamãe, minha filha imaginária, adora tomar banho."

Dentre outras coisa que a tal "Amiga (filha) imaginária" faz e brinca, a Pinguinho conversa, ri e até briga com a "amiguinha".

Ela não tem um nome e não está presente o tempo todo, mas participa de alguns momentos do seu dia e algumas brincadeiras.



     Essas criaturas do mundo da fantasia de forma nenhuma indicam que seu filho está se sentindo solitário ou tem algum problema. Na verdade, é justo o contrário: crianças que cultivam amigos imaginários tendem a se tornar adultos criativos, sociáveis, independentes e felizes. 
       Esse tipo de amigo pode ser um ser humano ou um animal e geralmente tem nome e personalidade. Mistura de confidente, parceiro de brincadeiras, protetor e bode expiatório, ele ajuda a criança a praticar como se constrói um relacionamento e permite que ela esteja no controle -- algo muito diferente de sua rotina diária. 


       Se seu filho tem um amigo imaginário, isso significa que ele é uma criança muito criativa. Aliás, crianças muito inteligentes tendem a ter amigos imaginários. O fenômeno também é mais comum com primeiros filhos, que têm menos companhia.
       As crianças também usam o artifício do amigo imaginário para aprender melhor os conceitos de certo e errado. É por isso que o amigo invisível às vezes leva a culpa pelas "artes" que ela faz: "Não fui eu que quebrei a boneca, foi o Marcelinho!".
       Quando esse tipo de coisa acontecer, resista à tentação de dizer: "Que Marcelinho nada, você sabe que ele está só na sua imaginação!". Só explique que não é legal quebrar um brinquedo, que é preciso dar valor às coisas, sem entrar no mérito do culpado. Pode ser que ele até resolva dar uma bronca no Marcelinho, o que só mostra que ele aprendeu a lição.
       O ideal é não dar muita bola para a história. Por um lado, não negue a existência do amigo imaginário, mas por outro não entre na dança, fingindo enxergar o amigo ou conversando com ele. O que pode acontecer se você incorporar o amigo imaginário à vida da criança é que ele vai "existir" por bem mais tempo.
       Esse tipo de comportamento vai embora sozinho com o tempo. Fique tranquila e deixe seu filho aproveitar a companhia do "amigo". É uma fase comum da infância que logo vai acabar. Uma idéia é registrar a história num caderno de recordações, por exemplo. No futuro talvez ele ache legal saber qual era o nome do amigo imaginário de quando era pequenininho.





sábado, 22 de setembro de 2012

Algumas palavrinhas erradas...


A Pinguinho fala poucas palavras errado.
Poucas mesmo.

Nunca tive o hábito de falar com ela em tatibitate.

Mas aos 3 anos e 8 meses algumas palavrinhas saem erradas, e é tão engraçado.

Algumas delas são:

Siminifica - Significa.
Cimena - Cinema
Abana ou barrana - Cabana.

Mas ela usa o plural nas frases, e até arrisca na conjugação verbal.
 "Nós vamos..."
 "Eu gostaria de..."

E fala...Como fala!!!
Uma verdadeira tagarela!!







quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Preferências da TV



Aqui em casa a Pinguinho só assiste programas infantis.
O Disney Junior é o canal com seus programas preferidos. São eles:

 Os Imaginadores

 Doutora Brinquedos

 Manny, Mãos a obra.

E na TV Cultura, os desenhos, jogos e brincadeiras do Quintal da Cultura

PS: Como o papai é o "handyman" aqui de casa, ela o chama de "papai Manny". 
Consertam as coisas e ainda cantam as musiquinhas do desenho juntos. 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Páscoa e a mamadeira

Ano passado aos 2 anos e 3 meses, o coelhinho da páscoa levou as chupetas e trouxe um lindo coelhinho de pelúcia e muitos ovos de chocolate.

Este ano com 3 anos e 4 meses, o coelhinho levou as mamadeira e além dos ovos de chocolate trouxe lindos copinhos e canecas


As mamadeiras foram deixadas para trás e ela se adaptou muito bem aos copinhos e canecas.

PS: O tal coelhinho de pelúcia foi adotado, deste o abandono nas chupetas e ela dorme com ele todas as noites, abraçadinhos a noite toda, batizado de "coelhinho Fofinho".

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Quarto de mocinha

Se tem uma coisa que deixa a Pinguinho com a maior cara de brava é chama-la de bebê.
Ela não aceita, nem se for de uma maneira carinhosa.
Seja para quem for, ela fecha a cara e diz na lata:
"- Não sou bebê, sou mocinha!".

Mudamos toda a decoração de seu quarto.
O berço foi vendido no brechó, a cama ganhou seu lugar, a pintura mudou para sua cor preferida: rosa, os móveis - cômoda e guarda-roupas ficaram, mas em outros lugares, o nicho também mudou de lugar e uma das paredes ganhou a cor de caramelo e um lindo adesivo de fada.

Quarto de mocinha para uma mocinha de 3 anos.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...