segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Amigo imaginário.


Ultimamente, tenho escutado a seguinte frase;
"- Mamãe, minha filha imaginária, adora tomar banho."

Dentre outras coisa que a tal "Amiga (filha) imaginária" faz e brinca, a Pinguinho conversa, ri e até briga com a "amiguinha".

Ela não tem um nome e não está presente o tempo todo, mas participa de alguns momentos do seu dia e algumas brincadeiras.



     Essas criaturas do mundo da fantasia de forma nenhuma indicam que seu filho está se sentindo solitário ou tem algum problema. Na verdade, é justo o contrário: crianças que cultivam amigos imaginários tendem a se tornar adultos criativos, sociáveis, independentes e felizes. 
       Esse tipo de amigo pode ser um ser humano ou um animal e geralmente tem nome e personalidade. Mistura de confidente, parceiro de brincadeiras, protetor e bode expiatório, ele ajuda a criança a praticar como se constrói um relacionamento e permite que ela esteja no controle -- algo muito diferente de sua rotina diária. 


       Se seu filho tem um amigo imaginário, isso significa que ele é uma criança muito criativa. Aliás, crianças muito inteligentes tendem a ter amigos imaginários. O fenômeno também é mais comum com primeiros filhos, que têm menos companhia.
       As crianças também usam o artifício do amigo imaginário para aprender melhor os conceitos de certo e errado. É por isso que o amigo invisível às vezes leva a culpa pelas "artes" que ela faz: "Não fui eu que quebrei a boneca, foi o Marcelinho!".
       Quando esse tipo de coisa acontecer, resista à tentação de dizer: "Que Marcelinho nada, você sabe que ele está só na sua imaginação!". Só explique que não é legal quebrar um brinquedo, que é preciso dar valor às coisas, sem entrar no mérito do culpado. Pode ser que ele até resolva dar uma bronca no Marcelinho, o que só mostra que ele aprendeu a lição.
       O ideal é não dar muita bola para a história. Por um lado, não negue a existência do amigo imaginário, mas por outro não entre na dança, fingindo enxergar o amigo ou conversando com ele. O que pode acontecer se você incorporar o amigo imaginário à vida da criança é que ele vai "existir" por bem mais tempo.
       Esse tipo de comportamento vai embora sozinho com o tempo. Fique tranquila e deixe seu filho aproveitar a companhia do "amigo". É uma fase comum da infância que logo vai acabar. Uma idéia é registrar a história num caderno de recordações, por exemplo. No futuro talvez ele ache legal saber qual era o nome do amigo imaginário de quando era pequenininho.





Um comentário:

  1. Oi Jujuba!! Tudo bem aí com vcs?
    Então tem gente nova em casa é? Aqui tb! Lucas tem vários e vários amigos imaginários, e até engraçado porque as vezes ele me dá até bronca se eu sento no lugar de um de seus amigos!!!

    Achei bem interessante as explicações que vc nos trouxe, eu achava que era bom, mas ainda não tinha avaliado mais afundo!

    E vcs, como estão? Correndo muito?!
    Ó, beijo grande nas duas viu?!
    Tudo de bom!!

    Ju

    ResponderExcluir

Adoro comentarios!
Fique a vontade!
Beijinhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...